Categoria: Pergunte ao psicanalista

30th
dez

download (9)Meu objetivo neste texto é problematizar uma concepção recorrente: a de que causas banais e atuais da vida quotidiana provocam o que em psicanálise chamamos de neuroses e outras desordens mentais.

Uma pessoa procura um analista e lhe diz na entrevista, quando indagada sobre o que ela pensa a respeito das motivações que a fizeram produzir determinados sintomas, que é por causa do estresse no trabalho ou por algum trauma vivido recentemente, ou ainda, por um dissabor no trabalho ou no casamento ou a perda de um ente querido.

O que o analista pensa disso?

Ele pensa que esta pessoa está somente parcialmente do lado da verdade. Vejamos o porquê.

Leia Mais

21st
dez

images (3)Para tecer minhas reflexões sobre este relevante tema parto de algumas observações colhidas ao longo dos meus anos de experiência como clínica e supervisora. Como supervisora, não é incomum perceber no terapeuta supervisionado a emergência de fortes sentimentos contratransferenciais com relação aos pais da criança atendida. O rol de sentimentos é variado, mas em seu espectro estão presentes ciúme, busca de pacto com um dos membros do casal e rivalidade com o outro, competição com relação à capacidade de cuidado parental (“eu sou melhor pai ou mãe que ele ou ela”), inveja e idealização. Como clínica no atendimento de crianças e pais observo o forte impacto que a transferência dos genitores, estabelecida muitas vezes já no primeiro contato telefônico, exerce sobre a mente do analista.

Leia Mais

26th
out

supervisão online em psicanálise

Se você é psicólogo ou psiquiatra, atende no consultório utilizando a psicanálise ou pretende aprender a utilizá-la no trabalho com os seus pacientes, agora você tem a chance de fazer supervisões pela internet.

A supervisão em psicanálise online é uma saída muito interessante, pois disponibiliza o conhecimento psicanalítico a um número maior de pessoas que, de outra maneira, não teria acesso aos conhecimentos de um psicanalista numa supervisão presencial. Leia Mais

26th
out

downloadNa semana passada recebi o contato da Aline pedindo-me para comentar sobre como a psicanálise pode contribuir para compreender o paciente que apresenta sintomas obsessivos. Ela escreveu:

Olá, Ana. Gostaria de saber um pouco mais em relação ao paciente diagnosticado com TOC. Como são estruturadas as sessões? Qual o olhar da psicanálise em relação a esse sujeito? E por último o que fazer quando esse sujeito demonstrar resistência principalmente à associação livre?

Meus comentários:

Leia Mais

16th
set

downloadEstou inaugurando este mês em meu blog uma nova e ousada atividade. No “Pergunte ao psicanalista” minha proposta será oferecer às pessoas a chance de conhecer a perspectiva e o modo habitual de conversar com um psicanalista.

Selecionarei uma pergunta por semana feita por uma pessoa no Portal MundoPsicologos.com ou então enviada diretamente a mim pelo e-mail e responderei à pessoa como se ela estivesse conversando com um psicanalista. Obviamente não se trata de substituir uma sessão de análise, pois isso não seria possível. Penso que este tipo de iniciativa pode ajudar as pessoas a terem um primeiro contato com o modo habitual de um psicanalista pensar e abordar as problemáticas humanas, modo que costuma ser diferente de outras modalidades psicológicas.

Leia Mais