images (3)A Psicologia Clínica é uma das áreas de atuação do psicólogo. Para se tornar psicólogo, a pessoa deve ter cursado uma Graduação em Psicologia reconhecida pelo MEC.

Para poder exercer a prática clínica, o profissional deve estar devidamente credenciado junto ao Conselho Regional de Psicologia de sua cidade, que regulamentará, dentre outras coisas, as condutas éticas do profissional.

O Psicólogo Clínico é aquele profissional que irá trabalhar em um consultório particular, realizando consultas (no âmbito privado ou por meio de convênios médicos). O psicólogo clínico, para intervir, deve pautar sua prática em uma abordagem teórica, que foi escolhida por ele nos últimos anos de sua graduação. Esta é uma questão fundamental: o trabalho do psicólogo clínico não é baseado em “achismos”. O psicólogo não é conselheiro, como, por exemplo, um padre ou um vizinho! Ele é um profissional devidamente credenciado e preparado, teórica e tecnicamente, para auxiliar aquele que o procura. Sua prática é pautada em técnicas específicas, que por sua vez, estão pautadas em uma teoria científica sedimentada ao longo do tempo.

Não são técnicas “terapêuticas”: terapias de vidas passadas (isso é religião e não ciência), cromoterapias, uso de florais, regressão a vidas passadas, etc.

Por isso, é importante que, ao decidir buscar a ajuda de um profissional, você verifique qual é a formação dele e se ele está devidamente credenciado junto ao seu órgão de classe.

No consultório particular, o psicólogo clínico poderá atender, dependendo de sua especialidade, famílias, casais ou individualmente (criança, adolescente, adulto, idoso, etc.).

Mas, independente do contexto e do público atendimento pelo profissional, o que irá nortear a prática do psicólogo clínico é o objetivo de ajudar as pessoas a conviver melhor com seus conflitos e dificuldades, além de auxiliá-las a se conhecer melhor, refletindo sobre suas próprias escolhas e tomadas de decisões.