images (3)Meu objetivo neste post é explicar da maneira mais clara possível para o público interessado quais são as diferenças entre um psiquiatra e um psicólogo clínico.

Formação acadêmica:

A primeira diferença se refere à formação acadêmica de cada um dos profissionais. Para atuar como psiquiatra deve-se cursar seis anos de Medicina e mais dois ou três de residência em Psiquiatria. Já para atuar como psicólogo, deve-se fazer uma graduação de cinco anos em Psicologia e, em seguida, especializar-se na área e na abordagem escolhida.

 Resumidamente, o psiquiatra é um “médico do corpo” e o psicólogo é um “médico da alma”.

Mas o que significa isso em termos práticos?

 Isso significa que o psiquiatra terá como foco, primeiro, a identificação da desordem mental que está acometendo o paciente e, em seguida, o tratamento medicamentoso de tal desordem.

Já o psicólogo (“médico da alma”) não pauta sua atuação por diagnósticos, primeiro por não ser médico no sentido lato do termo e, segundo porque a ele interessa mais saber as causas subjacentes que estão motivando o adoecimento mental daquela pessoa.

Mas ao contrário do que pode parecer num primeiro momento, o psiquiatra e o psicólogo são profissionais complementares. Em casos graves, a julgar pela avaliação dos profissionais, é indicado que o paciente faça um tratamento combinado, ou seja, psicoterapia com o psicólogo e tratamento medicamentoso com o psiquiatra.

Mas, vejamos mais detidamente o que faz um psicólogo clínico e um psiquiatra.

O que faz um psicólogo clínico?

O psicólogo clínico é um profissional habilitado a tratar, por meio de técnicas que chamamos de psicoterápicas, as inúmeras formas de adoecimento mental que podem acometer um ser humano ao longo de sua vida. No geral estas técnicas utilizam prioritariamente a fala, mas podem utilizar também outros recursos como desenhos e técnicas corporais.

Como funciona seu trabalho?

  1. Encontros semanais com seu paciente com duração fixa (50 minutos) ou variável a depender da abordagem teórica
  2. Uso de conversas em um clima de acolhimento, respeito e intimidade emocional com o paciente
  3. Tem como objetivo não a redução do sintoma, mas o entendimento das causas que levaram ao adoecimento mental
  4. Busca uma melhora global da qualidade de vida do paciente (melhor conhecimento de si mesmo, melhora nas relações interpessoais, maior satisfação na vida, no trabalho e nas relações amorosas, etc)
  5. Busca do fortalecimento das defesas egóicas naturais do paciente de modo a torná-lo mais apto a lidar com as adversidades naturais da vida
  6. O tratamento possui uma duração prolongada no tempo, pois visa não a redução imediata dos sintomas, mas a melhora global da qualidade de vida do paciente

O que faz o psiquiatra?

psiquiatra é um médico de formação que se especializou na identificação, diagnóstico e tratamento medicamentoso das desordens mentais. É um profissional fundamental no tratamento de desordens mentais severas tais como, esquizofrenia, autismo, transtornos de humor, etc.

Como funciona o seu trabalho?

  1. Encontros periódicos (mensais) com o paciente para ajuste da medicação e acompanhamento do quadro
  2. Uso de medicação para tratamento dos sintomas que porventura estejam impedindo o paciente de ter uma vida global satisfatória
  3. Tem como objetivo a redução dos sintomas e a melhora, a curto e médio prazo, da qualidade de vida do paciente
  4. O tratamento possui uma duração mais curta no tempo (quando comparado à psicoterapia), já que tem como foco a redução dos sintomas que, uma vez estabilizados, tornam desnecessário o seguimento com o médico

Ficou em dúvida sobre procurar um psiquiatra ou um psicólogo?  Aqui vão algumas dicas!

  1. Seus sintomas estão atrapalhando o seu rendimento no trabalho e suas relações sociais / familiares?  Procure  um psiquiatra ou um psicólogo. Ambos poderão te orientar sobre o que fazer.
  2. Não tome medicação psiquiátrica de forma indiscriminada! Se quiser fazê-lo, procure um psiquiatra!
  3. Saiba que o tratamento medicamentoso sem o acompanhamento de um psicólogo é como “enxugar gelo”. Tratando somente os sintomas mas não as causas, logo ficará doente de novo.
  4. Está realmente motivado a fazer transformações profundas em si mesmo? Procure um psicólogo.
  5. Tem urgência em melhorar? Sente-se pouco disposto a pensar sobre si mesmo? Procure um psiquiatra. O trabalho com o psicólogo exigirá seu empenho e paciência.
  6. É uma pessoa curiosa sobre si mesma? Quer entender as causas subjacentes ao seu mal-estar emocional? Procure um psicólogo.

Você estará prestes a iniciar um trabalho que, apesar de durar alguns anos, poderá mudar sua forma de enxergar a si mesmo e à vida radicalmente.

Procure um profissional devidamente credenciado junto ao Conselho Federal de Psicologia de sua cidade e dê preferência àquele com quem você se sentiu respeitado e acompanhado.

Agora se está na região, consulte um psicólogo em Ribeirão Preto. Estou à disposição para conversar com você. Conheça minha formação e agende uma entrevista. Conheça mais meu trabalho como psicanalista em Ribeirão Preto.