A diferença fundamental é que o psiquiatra é formado em Medicina e o psicólogo formado em Psicologia. Ou seja, psiquiatra e psicólogo são profissionais que têm formações diferentes e estão preparados para lidar com situações que afetam o ser humano utilizando técnicas diferentes.

Para se tornar um psiquiatra, o médico deve fazer uma residência em Psiquiatria.  Ou seja, para começar exercer sua clínica, deve concluir o curso de Medicina e especializar-se no estudo e tratamento dos transtornos mentais.

Já o psicólogo estuda o ser humano em seus aspectos biológicos, sociais e psicológicos, buscando compreender o indivíduo em suas relações consigo e com o mundo onde vive.

Por estudar o ser humano em seus diferentes contextos, o psicólogo pode atuar em diversas áreas, como em clinicas particulares, escolas, serviços de saúde mental, hospitais, empresas, no setor judiciário, dentre outras.

A Psicologia Clinica, que envolve o diagnóstico e o tratamento de dificuldades emocionais, é uma das varias áreas onde o psicólogo pode atuar. No contexto clinico, o psicólogo busca auxiliar o individuo em seu sofrimento psíquico através de técnicas de psicoterapia.

Esta opção é feita pelo psicólogo ao longo de sua formação, através do direcionamento de seus estudos e estágios profissionalizantes para a área clínica.

Para poder atuar, o profissional deve ser credenciado junto ao Conselho Regional de Psicologia, órgão que regulamenta a prática e a ética profissional do psicólogo em seus vários campos de atuação.

Hoje se sabe que alguns transtornos mentais estão relacionados com alterações químicas no sistema nervoso. Portanto, em alguns casos é necessária a utilização de medicações apropriadas.

Diante de uma situação deste tipo, o psicólogo pode encaminhar uma pessoa por ele avaliada ou atendida para uma avaliação psiquiátrica, caso suspeite de que aquele caso requer o uso de medicação.

Aqui observamos mais uma diferença entre psicólogo e psiquiatra: por ser médico, o psiquiatra pode receitar os medicamentos apropriados para determinados tipos de transtornos emocionais. Já o psicólogo não está habilitado a orientar o uso de nenhum tipo de medicação, utilizando como recursos terapêuticos o diálogo e a relação terapêutica.